Pintores de Galicia. Galerías de Galicia. Actualidad. Logo
Escultura comemorativa do 800º Aniversário da Consagraçăo da Catedral de Santiago de Compostela
Santiago de Compostela. 29/2/2012

Hoje a Fundaçăo Catedral de Santiago rececionou a escultura comemorativa do 800º Aniversário da Consagraçăo da Catedral de Santiago de Compostela, doada pela Corporaçăo Hijos de Rivera.

Receçăo oficial pela Fundaçăo Catedral de Santiago, da escultura comemorativa do 800º Aniversário da Consagraçăo da Catedral de Santiago de Compostela, doada pela Hijos de Rivera. Da esquerda para a direita, Daniel Lorenzo Santos, Diretor da Fundaçăo Catedral de Santiago, José María Rivera Trallero, conselheiro delegado da Hijos de Rivera, José Maria Días Fernández, Deăo da Catedral de Santiago, Manuel Patinha, autor da escultura, e os conselheiros da Corporaçăo Hijos de Rivera, Fernando Hernández Rivera e Ramón Blanco Rajoy Rivera. A escultura, de aço Corten, foi realizada pelo escultor portuguęs Manuel Patinha, (Póvoa de Santa Iria, 1949). A peça quer simbolizar uma das doze cruzes da consagraçăo da catedral compostelana, que se encontram nas naves da basílica. As travessas da cruz foram viradas de modo que a figura que representa é um 8, os séculos desde a consagraçăo, que contém por sua vez os dois zeros que em conjunto com o 8 simbolizam os oitocentos anos da consagraçăo. A peça assenta-se em duas bases de granito, numa posiçăo tal que a sombra projetada nas primeiras horas do dia, quando o sol começa a iluminar o claustro, forma o oito, numa figura que recordará pelos tempos o oitavo centenário da consagraçăo. O peso do conjunto escultórico supera os oitocentos quilos.

A escultura foi colocada num canto do claustro da Catedral, construído no princípio do século XVI, de estilo gótico-renascentista. No canto oposto encontram-se tręs sinos, o maior - La Berenguela - fundido em 1729 e substituído por causa de uma greta.

A consagraçăo da Catedral de Santiago foi feita na segunda semana da Páscoa do ano 1211, pelo bispo de Compostela, Pedro Muñiz, na presença do Rei de Leăo, Afonso IX, acompanhado do seu filho o infante Fernando, do seu irmăo Sancho e outros dignitários.

Ata da receçăo oficial pela Fundaçăo Catedral de Santiago, da escultura comemorativa do 800º Aniversario da Consagraçăo da Catedral de Santiago de Compostela, doada pela Hijos de Rivera. Da esquerda para a direita, José María Rivera Trallero, conselheiro delegado da Hijos de Rivera, Daniel Lorenzo Santos, Diretor da Fundaçăo Catedral de Santiago e José María Díaz Fernández, Deăo da Catedral de Santiago. A ata de receçăo da escultura pela Fundaçăo Catedral de Santiago, assinada por José María Días Fernández, Deăo da Catedral de Santiago, foi lida por Daniel Lorenzo Santos, Diretor da Fundaçăo Catedral de Santiago, com a presença do artista criador da escultura, Manuel Patinha. Pela empresa Hijos de Rivera, assistiu José Maria Rivera Trallero, conselheiro delegado da Hijos de Rivera e os conselheiros da Corporaçăo Hijos de Rivera, Fernando Hernández Rivera e Ramón Blanco Rajoy Rivera. Pelo Concelho de Santiago, assistiu Ángel Currás Fernández, vereador de cultura.

Falou em primeiro lugar o escultor, Manuel Patinha, da ideia da peça e da dificuldade da realizaçăo da espetacular escultura. Patinha agradeceu a confiança no seu trabalho por lhe encomendarem uma obra com a transcendęncia desta peça e o simbolismo que representa. Agradeceu o patrocínio da Hijos de Rivera que financia e doa a peça, e à Fundaçăo Catedral de Santiago, por situá-la em lugar tăo destacado. Finalmente, mostrou-se satisfeito do trabalho realizado e da importância deste ato de cessăo da escultura.


Em palavras de José María Díaz Fernández, Deăo da Catedral, “Encontramo-nos verdadeiramente face a uma grande criaçăo artística. Localizada no sítio idóneo, no Claustro da Catedral, num canto os velhos sinos, cheios de ressonâncias históricas, e noutro ângulo, frente a frente, precisamente esta cruz gigantesca que, virada, recorda o oitocentos aniversário. Os nossos parabéns ao autor, precisamente um autor portuguęs assente na Galiza”.

Após estas palavras, Daniel Lorenzo Santos, Diretor da Fundaçăo Catedral de Santiago, leu a ata de receçăo: “O Cabido da Santa Apostólica e Metropolitana Igreja Catedral Compostelana recebe com gratidăo da Hijos de Rivera S.A. a escultura realizada em aço Corten pelo artista Manuel Patinha, peça que se incorpora à coleçăo de obras de arte do Museu Catedralício, e que fica para a posteridade como testemunho dos atos de celebraçăo do oitocentos aniversário da Consagraçăo da Catedral de Santiago”.

O escultor Manuel Patinha, em frente da escultura “800”, comemorativa do 800º Aniversário da Consagraçăo da Catedral Santiago de Compostela. 29/2/2012. Manuel Patinha, Póvoa Sta Iria (Portugal) 1949.
Estuda na Escola Industrial de Vila Franca de Xira, para entrar posteriormente como voluntário na marinha de guerra portuguesa. Viaja pela Europa, América e África. Depois de ter um duro acidente Patinha vem para Espanha. Mora um tempo em Madrid, onde pinta aquarelas. De formaçăo autodidata, colaborou ativamente com Cruzeiro Seixas entre os anos setenta e oitenta. No final dos oitenta assenta-se definitivamente em Narón (Corunha), onde, tanto em Espanha como em Portugal, ganhou um notável prestígio como pintor, escultor e gravador. A sua obra foi exposta em toda a Galiza e Portugal, bem como em Madrid, Barcelona, França, Itália e Brasil; e está presente em coleçőes como as das Câmaras Municipais da Corunha, Narón e Lugo, das Universidades de Aveiro e da Corunha e diversos museus de Orense, Vila Franca de Xira, A Corunha, Lisboa, Penafiel e Marbelha.

Em 1971 realiza a sua primeira exposiçăo individual na sua localidade natal, Póvoa de Santa Iria.
Em 1973 participa no Salăo de Primavera do Estoril, e no Salăo de Outono da mesma cidade. Desde entăo efetuou quase quarenta exposiçőes individuais e mais de cem coletivas, em Espanha e Portugal falam da trajetória deste artista multidisciplinar.


Placa da doaçăo da escultura “800”, comemorativa do 800º Aniversário da consagraçăo da Catedral Santiago de Compostela. 29/2/2012.

esquerda: “Placa comemorativa da doaçăo da escultura “800”, criada por Manuel Patinha, à Fundaçăo Catedral de Santiago, pela Hijos de Rivera S.A.”


Vista do claustro da Catedral de Santiago, com a escultura 800 ao fundo.



direita: “Vista do claustro da Catedral de Santiago, com a escultura 800 ao fundo, em primeiro plano apreciam-se os velhos sinos”.

Em baixo, à esquerda: Os velhos sinos da Catedral de Santiago, num canto do Claustro do Museu Catedralício de Santiago. Os velhos sinos da Catedral de Santiago, num canto do Claustro do Museu Catedralício. Santiago, 29/2/2012.